Menu

Caixa insiste em retrocesso na promoção por mérito

24/02/16
Caixa insiste em retrocesso na promoção por mérito

A Caixa Econômica Federal voltou a criar impasse nos debates sobre promoção por mérito no âmbito do Plano de Cargos e Salários (PCS), ao insistir na exigência de que o empregado complete 365 dias de empresa para ter direito a ser avaliado e promovido. Pelas regras em vigor, participam do processo os empregados que já tenham 180 dias de casa.

A comissão paritária que trata da promoção por mérito esteve reunida na terça e na quarta-feira (22 e 23), em Brasília. Os representantes dos empregados condicionaram a aprovação da proposta global negociada esta semana à manutenção do prazo de 180 dias para participação no processo de avaliação para promoção por merecimento.

O impasse foi alvo de discussões na quinta-feira, dia 24 de maio, em Brasília, na rodada de negociações permanentes entre a Contraf-CUT, federações e sindicatos, representados pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa) e representantes do banco.

 

"Não vamos abrir mão dos 180 dias porque seria um retrocesso exigir um tempo maior para acesso às promoções. Isto seria uma injustiça com os novos colegas", explica o representante dos empregados gaúchos na negociação, Marcello Husek Carrión.



Fonte: Fenae com edição da Fetrafi-RS





Imprimir está pagina