Menu

Dezenas de demissões no ITM do Itaú nos últimos meses

21/05/18
Dezenas de demissões no ITM do Itaú nos últimos meses

 

Amparado pela deforma trabalhista de Temer, banco demite funcionários das áreas de Cartões Pessoa Física e Intercâmbio; Sindicato exige a suspensão das demissões!

 

Leonardo Guandeline, Redação Spbancarios

 

O Itaú continua pesando a mão na deforma trabalhista de Temer e dos banqueiros e desrespeitando a CCT da categoria. Depois do feirão de direitos no CT, a última maldade são as demissões de dezenas de funcionários do ITM nos últimos meses. Os alvos são trabalhadores das áreas de Cartões Pessoa Física e Intercâmbio, vinculadas à Superintendência de Cartões e BKO Cobranças.

De acordo com o dirigente sindical e bancário do Itaú Fabio Pereira, a maioria dos demitidos são funcionários considerados de baixa performance por uma avaliação duvidosa do banco, que considera cerca de 90% dos empregados dessas áreas "abaixo da curva". "No local, já existe a contratação de temporários amparada pela deforma trabalhista antes mesmo do término da CCT de dois anos que garante direitos à categoria até 31 de agosto. E agora demissões de trabalhadores terceirizados, adoecidos e PCDs. Com um lucro de R$ 6,4 bilhões no primeiro trimestre, o Itaú deveria contratar mais pessoas, melhorar o atendimento ao cliente e as condições de trabalho, saúde e segurança dos funcionários”, salienta.

O Sindicato está acompanhando todo o processo e já conversou com o banco, mas ainda não obteve resposta. “Nossa orientação é que, caso haja novas demissões nessas áres, os trabalhadores afetados procurem diretamente os dirigentes Fabio, Andrea e Tonhão, responsáveis pelo prédio. Ou utilizem nossos canais. Não iremos mais tolerar nenhuma injustiça, que o Itaú utilize a deforma trabalhista para economizar às custas dos trabalhadores”, acrescenta.

Além de pessoalmente aos dirigentes, as denúncias podem ser feitas ao Sindicato por meio da Central de Atendimento (11 3188-5200) ou pelo WhatsApp (11 97593-7749). O sigilo é garantido!

Além do desrepeito com a CCT, o Itaú já colocou em prática um dos pontos da deforma trabalhista que permite apenas a realização pela empresa da homologação dos trabalhadores demitidos, atitude rechaçada pelo Sindicato. Para garantir que bancários tenham seus direitos assegurados, a entidade oferece gratuitamente atendimento pré e pós homologação.





Imprimir está pagina