Menu

Caixa: Conquistas para trabalho aos sábados

03/05/17
Caixa: Conquistas para trabalho aos sábados

​Banco terá que antecipar relação de agências e funcionários convocados para trabalhar aos sábados; horas extras terão adicional de 100%

03/05/2017

Em audiência de mediação na Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região, ocorrida em Brasília (DF), a Caixa Econômica Federal ficou obrigada a efetuar o pagamento de horas extras com adicional de 100% para empregados convocados para trabalhar aos sábados, em decorrência da liberação dos saques de contas inativas do FGTS.

A audiência ocorreu em decorrência das denúncias de que as horas extras do trabalho aos sábados estavam sendo pagas com adicional de apenas 50%, quando o correto é 100%, conforme relato do coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), Dionísio Reis.

Durante a audiência, em resposta à cobrança da Contraf/CUT, Fenae, Apcef/SP e sindicatos, os representantes da Caixa afirmaram que todas as horas trabalhadas aos sábados serão pagas, sem compensação, com adicional de 100%.

O banco também acatou a reivindicação da CEE/Caixa, e vai apresnetar, com antecedência de cinco dias, a listagem de agências que abrirão aos sábados, assim como a relação de bancários convocados. “A medida tem o objetivo de permitir que as entidades representativas possam fiscalizar adequadamente este trabalho”, explicou o coordenador da CEE/Caixa.

O adicional de 100% sobre a hora extra trabalhada aos finais de semana está assegurado na cláusula 9 do acordo aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), que classifica sábados, domingos e feriados como repouso semanal remunerado.

VR e VT
Outra denúncia levantada pelos empregados refere-se ao não pagamento dos vales refeição e transporte para bancários convocados para trabalhar aos sábados. Em resposta, os representantes do banco afirmaram que vão levar a questão do pagamento do vale-refeição à diretoria, para que seja concedido. Sobre o vale-transporte, a Caixa afirmou que vai apurar se o mesmo está sendo fornecido aos empregados.

Fonte: Contraf-CUT, com informações da Fenae





Imprimir está pagina